Orgulho e Preconceito

“Em vão tenho lutado comigo mesmo, mas nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos; preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente”

Séries

O Divaneandoo mostrará algumas de minhas séries prediletas.

Músicas

Saiba minhas preferências musicais aqui no Divaneandoo.

Doramas

Fique por dentro das melhores séries asiáticas aqui no blog. You're Beautiful é e sempre será um dos meus queridinhos!

The King 2 Hearts

Um dos melhores doramas de 2012. Unindo romance, ação, suspense, comédia e drama numa história emocionante envolvendo uma monarquia coreana moderna em busca da unificação das Coréias.

Ojakgyo Brothers

Esse drama me cativou desde os primeiros episódios pela simplicidade da história e pelos inúmeros personagens pra lá de reais e apaixonantes. Confira a resenha aqui no blog.

Filmes de Bollywood

Não perca também as resenhas de filmes indianos aqui no Divaneandoo.

Séries Britânicas

BREVE resenhas de séries britânicas. North and South é uma das melhores e mais queridas! Minha predileta!

Animes

Aqui no blog você encontra resenhas de animes também.

Running Man

Running Man é um dos programas de variedades mais bem sucedidos na Coréia e aqui no blog você encontra resenhas de episódios. Garantia de risadas!

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Refresh Man (Tw-Drama)

Refresh Man era exatamente o tipo de drama leve, fofo e divertido que eu precisava na época em que comecei a vê-lo. Não nego que o fato de ser protagonizado por Aaron Yan foi o maior motivo para me deixar convencer por vários leitores que mandaram mensagens clamando para que visse o tw-drama. Segue então resenha destacando alguns pontos do drama que me fez surtar muito em vários momentos! 
Título: Refresh Man, 後菜鳥的燦爛時代
Gênero: Comédia romântica
Total de episódios: 17
Emissora: TTV
Período de transmissão: 06 de março à 26 de junho de 2016
Criação: Sanlih E-Television
Roteiro: Wang You Zhen, Zhang Fang Ying, Chen Yun Ru 
Direção: Ke Zheng Ming, Hao Xin Xiang 

- O enredo
A história de Refresh Man não é nada complicada e nem elaborada, mas sim simples. É sobre a secretária Zhoung Yu Tang (Joanne Tseng) que vê seu mundo mudar quando um novo chefe aparece na área. Acontece que Yu Tang sempre foi uma secretária competente e muito elogiada no trabalho, porém o novo CEO não se mostra animado com o trabalho da moça.
O mais interessante é que Yu Tang e o agora seu chefe - Ji Wen Kai (Aaron Yan) – são velhos conhecidos. Os dois estudaram na mesma escola quando adolescentes e passaram muito tempo juntos. Só que na época Yu Tang era a inteligente e líder, enquanto que Wen Kai não era um bom estudante e se metia em confusões. O jogo realmente virou, e agora é ele quem detém o poder. Ambos guardam mal entendidos do passado então a convivência no trabalho não será nada fácil.
Wen Kai logo transfere Yu Tang para o setor de vendas, o qual ela nunca passou e nem tinha interesse. E ainda a coloca na equipe mais fracassada da empresa, onde os funcionários são desmotivados e acomodados. Aos poucos, percebe-se que Wen Kai tem motivações maiores, digamos assim, para chegar mudando algumas coisas na empresa e principalmente em relação a Yu Tang, sendo então cada vez mais difícil para ele esconder seus reais sentimentos por ela.
Ainda mais quando surge um rival na área, o gentil secretário Wang Zi Yu. Este mostra interesse por Yu Tang e sempre está por perto tentando ganhar atenção da moça e a ajudando com suas obrigações no trabalho.
Assim, a trama de Refresh Man é clichê, simples e nada muito original. Desde o começo você sabe que o drama não trará grandes desdobramentos e reviravoltas mirabolantes. Nem por isso, no entanto, deixa de ser cativante. Afinal, certos clichês nunca são cansativos. 

terça-feira, 19 de julho de 2016

MARS: Tada, Kimi wo Aishiteru (J-Drama)

Trago hoje resenha da aguardada versão japonesa de MARS. Tive oportunidade de conferir o drama taiwanês há alguns anos por muita insistência de uma amiga e até hoje considero uma das histórias mais dramáticas do ponto de vista psicológico. Espero que confiram todo o post e deixem seus comentários ao final.
Título: MARS
Sub título: ただ, 君を愛してる / Tada, Kimi wo Aishiteru
Formato: Renzoku
Gênero: Romance, Colegial
Total de episódios: 10
Emissora: NTV
Período de transmissão: 24 de janeiro à 27 de março de 2016
Roteiro origianl: Manga MARS de Souryo Fuyumi (惣領冬実)
Roteiro adaptado: Oishi Tetsuya
Produção: Ueno Hiroyuki (植野浩之), Watanabe Toshiaki (渡部智明), Watanabe Hirohito
Direção: Yakumo Saiji (耶雲哉治), Shintoku Koji (神徳浩治)

Mars conta a história de Aso Kira (Iitoyo Marie), uma garota muito introvertida que depois de um inusitado encontro se vê alvo das atenções de Kashino Rei (Fujigaya Taisuke) - o cara mais popular da escola.
Ela é apaixonada por artes e passa quase todo o tempo livre desenhando e Rei fica fissurado num certo desenho dela, e passa então a nota-la mais na escola e quando percebe já está salvando a moça de algumas situações perigosas. E com isso, Kira acaba sendo alvo de bullying de algumas garotas da escola que não conseguem aceitar o fato de logo ela vir a ganhar a atenção do desejado Rei.
Porém, além da proteção de Rei, Kira conta com a ajuda de Kirishima Makio (Kubota Masataka), um garoto recém-transferido para sua escola. Makio é um gentil e está sempre por perto dando conselhos e disposto a entrar na briga pela garota junto com Rei.
Até aí é uma história clichê, do tipo que já vimos centenas de vezes retratadas em dramas não?! Porém, MARS vai muito além! Aos poucos se percebe que os personagens não são simples como aparentam num primeiro momento. Cada um tem seus mistérios e segredos do passado. Segredos estes que vão sendo revelados no decorrer da trama deixando a história cada vez mais tensa e dramática psicologicamente.

sábado, 9 de julho de 2016

The Throne (K-Movie)

Ansiosa por conferir esse filme desde que foi lançado na Coreia ano passado por motivos de ser um épico e claro por Yoo Ah In. The Throne fez sucesso nas bilheterias, foi elogiado pelos críticos e ganhou várias categorias em muitas premiações. Trago hoje então minhas considerações sobre esse filme maravilhoso que retrata certamente a história mais trágica e cruel da era Joseon.
  Título: 사도 / Sado / The Throne
Direção: Lee Joon Ik
Produção: Oh Seung Hyeon
Roteiro: Cho Chul Hyun, Oh Seung Hyeon, Lee Song Won
Cinematografia: Kim Tae Gyeong
Distribuição: Showbox/Mediaplex
Lançamento: 16 de setembro de 2015
Duração: 125 minutos
País de Origem: coreia do Sul
Idioma: Coreano

A história é sobre o príncipe herdeiro Sado (Yoo Ah In) que é condenado pelo próprio pai, o rei Yeong Jo (Song Kang Ho) à sentença de morte. Isso por si só já é chocante não? 
Quando li a sinopse e vi o trailer fiquei sem acreditar que de fato algo assim pudesse ter acontecido, mas o filme é mesmo baseado em fatos reais.
No século 18, o rei Yeong Jo busca com afinco educar seu filho, o príncipe herdeiro da melhor forma possível, baseado nos estudos do Confucionismo. E quem já assistiu Six Flying Dragons sabe que Confúcio é a base da dinastia Joseon. Yeong Jo tenta passar uma boa imagem como rei já que é acusado por parte dos políticos de ter matado o próprio irmão mais velho para assumir o trono e enfrenta o preconceito de ser filho de uma concubina de classe baixa. Sua intenção nem era ficar muito tempo no trono, mas só teve seu filho na idade tardia de 40 anos.
Pois bem, o grande problema é que desde criança o príncipe herdeiro não gostava de estudar e cresceu preferindo muito mais as artes. Yeong Jo vê potencial no filho que é inteligente e esperto, porém a cada ano só ficava mais e mais decepcionado pela falta de interesse dele pelos estudos em si.
Depois de uma série de desdobramentos, quando o príncipe herdeiro já tem 27 anos, influenciado por seus ministros e alimentando seu desejo de passar o trono para um rei capaz, Yeong Jo praticamente acusa o filho de traição e o condena à morte. O trono passaria então para o filho do príncipe herdeiro que na época desses acontecimentos ainda é uma criança e mostra muito mais interesse pelos estudos que o pai. O filme já começa de uma forma bem intensa, no auge do conflito entre o rei e o príncipe herdeiro. 

domingo, 3 de julho de 2016

Another Oh Hae Young (K-Drama)

É, pelo jeito tvN caiu de vez no gosto popular dos telespectadores na Coreia e dos dorameiros de plantão ao redor do mundo. Depois de marcar com dramas como Reply 1988, Cheese in the Trap e Signal, a emissora fecha o semestre com chave de ouro com Another Oh Hae Young, uma deliciosa comedia romântica com pitadas de drama. 
Título: 또 오해영 / Ddo Oh Hae Yeong / Another Oh Hae Young
conhecido também como: Oh Hae Young Again / Another Miss Oh / Misunderstood
Gênero: Romance, Comedia, Sobrenatural
Total de episódios: 18 + 2 especiais
Emissora: tvN
Período de transmissão: 02 de maior à 05 de julho de 2016
Direção: Song Hyun Wook
Roteiro: Park Hae Young


*O enredo
Ao iniciar o drama há de se pensar que a temática é clichê, afinal temos uma mocinha comum, sofrida, azarada e pobre e um protagonista rico e traumatizado. Porém, Another Oh Hae Young é muito mais do que isso. Há duas Oh Hae Young na história: a protagonista interpretada por Seo Hyun Jin e a antagonista interpretada por Jun Hye Bin. 
As duas estudaram juntas no ensino médio e por terem o mesmo nome eram confundidas sempre, sendo que a protagonista era a que mais sofria, já que a outra era considerada a mais bela e inteligente. Logo, eram separadas em a apenas/outra Oh Hae Young e a bela Oh Hae Young. Pois bem, anos se passam e mais de uma década depois voltam se encontrar e são para variar, confundidas o que dá início então há vários desdobramentos na história.
Park Do Kyung (Eric) tem um estúdio onde trabalha como diretor de som e leva uma vida normal, dentro do possível, quando do nada começa a ter visões. Sim, isso mesmo! O interessante é que as visões são sempre da mesma mulher, uma mulher, aliás, que ainda não havia conhecido. 
E esta mulher é ninguém mesmo que a apenas Oh Hae Young, a qual logo conhece de forma inusitada e descobre então que foi responsável por algo grave que mudou completamente a vida dela. Além disso, quando menos espera a mesma passa a ser sua vizinha (literalmente de porta).

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Love 911 (K-Movie)

Sabe aquele tipo de filme que te faz sentir vários sentimentos? Que te envolve do começo ao fim e que te faz torcer loucamente pelo casal? Pois bem, Love 911 é exatamente assim e trago então hoje resenha desse maravilhoso filme coreano.
Título: 반창꼬 / Banchangkko / Love 911
Gênero: Comédia romântica, Drama
Lançamento: 19 de dezembro de 2012
Duração: 120 minutos
Direção: Jeong Gi Hun
Roteiro: Jeong Gi Hun, Park Sang Min
Cinematografia: Choi Se Gyu
Companhia de produção: ORM Pictures
Distribuição: Next Entertainment World
País de Origem: Coreia do Sul
Idioma: Coreano

Love 911 conta a história de Mi Soo (Han Hyo Joo), uma médica que quando vê sua carreira profissional ameaçada acata o conselho de sua advogada e tenta convencer o bombeiro Kang Il (Go Soo) a testemunhar contra seu “algoz”. Acontece que Mi Soo é acusada pelo marido de uma de suas pacientes de erro no diagnóstico da esposa que está em estado crítico. Mi Soo só pensa em sua carreira profissional, então não medirá esforços para salvar sua licença médica que pode ser suspensa caso enfrente julgamento e seja condenada. Kang Il testemunhou um dos ataques violentos do marido da paciente, então Mi Soo tenta convencê-lo a testemunhar a seu favor, contra então o seu acusador.
No entanto, a tarefa não seria nada fácil, afinal Kang Il tem uma personalidade forte e não se deixa convencer pela médica, ainda que esta seja jovem e bonita. Apelando então para truques de sedução Mi Soo aproxima-se cada vez mais de Kang Il tentando ganhar seu coração. 

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Livro + Filme: Como eu era antes de você (Me Before You)

Depois de ver o filme, finalmente arrumei alguma coragem de vir ao blog comentar com vocês sobre essa tocante e linda história. Li o livro ano passado e fiquei contando os dias para a estreia da adaptação cinematográfica com os queridos Sam Claflin e Emilia Clarke nos cinemas. Espero que confiram o post e ao final deixem seus comentários. Comentarei primeiro sobre o livro e o filme procurando não dar spoilers e depois sim um tópico sobre o final.

quinta-feira, 23 de junho de 2016

One More Happy Ending (K-Drama)

É com sentimentos ainda confusos que venho hoje comentar com vocês sobre One More Happy Ending, uma comédia romântica que reuniu os queridos Kyung Ho e Jang Na Ra como casal. Tentado facilitar minha vida de blogueira mais uma vez separei o post por tópicos e espero que confiram toda a resenha. 
Título: 한번 더 해피엔딩 / Hanbeon Deo Haepiending / One More Happy Ending
Conhecido também como: Happy Once Again / The Rewrite
Gênero: Comédia, Romance
Total de Episódios: 16
Emissora: MBC
Período de transmissão: 20 de janeiro à 10 de março de 2016
Produção: Kim Do Hoon, Kim Ho Joon (김호준)
Direção: Kwon Sung Chang (권성창)
Roteiro: Heo Sung Hee (허성희)


O que mais gostei: 

domingo, 19 de junho de 2016

Tenno no Ryoriban (J-Drama)

Há tempos tinha vontade de conferir algum drama épico japonês e só fui saber de Tenno no Ryoriban depois de vê-lo citado numa lista de melhores de 2015. Não conhecia praticamente quase ninguém do elenco, e por mais que a sinopse tenha chamado minha atenção assim como os comentários positivos sobre o drama não cheguei a criar muitas expectativas! No entanto, aqui estou eu então listando na resenha os principais motivos que me fizeram amar de muitão esse j-drama! 
Título: Tenno no Ryoriban/ 天皇の料理番
Conhecido também como: The Emperor's Cook
Gênero: Culinária, Épico
Período de transmissão: 26 de abril à 12 de julho de 2015
Total de episódios: 12
Emissora: TBS
Direção:: Yuichiro Hirakawa, Shingo Okamoto
Roteiro Original: Hisahide Sugimori

Roteiro adaptado: Yoshiko Morishita

* Baseado em fatos reais
O drama é baseado no romance de mesmo nome de Sugimori Hisahide (publicado em 1979 por Yomiuri Shinbunsha), sendo que o personagem principal - Tokuzo Akiyama, que viria a tornar-se chefe da cozinha imperial - realmente existiu na vida real. A história então começa mostrando a juventude de Tokuzo e sua então personalidade um tanto quanto duvidosa, no sentido que não tinha muito noção do que faria na vida, qual ocupação se dedicar! Os pais arranjam um casamento para ele tendo a esperança que então o jovem iria amadurecer e tomar jeito. Tudo só se complica quando Tokuzo descobre a culinária e apaixona-se pela profissão, que na época não era valorizada e sua família acostumada com as costumeiras empolgações repentinas não lhe dá muito crédito.
Não sei até que ponto o drama foi fiel à história real, mas só de ser baseado em algo que realmente aconteceu já me desperta a atenção. Gosto demais de biografias e a jornada de vida do Tokuzo é bem interessante, e foi bem desenvolvida no drama.

sábado, 11 de junho de 2016

The Fatal Encounter (K-Movie)

O primeiro projeto de Hyun Bin após completar o serviço militar obrigatório e seu primeiro filme épico não poderia ser mais digno! Trago hoje resenha desse longa metragem maravilhoso que aliás, foi meu primeiro filme cuja história passa-se na época de Joseon.
 Título: The Fatal Encounter/ 역린/ Yeokrin
Gênero: Épico, Drama
Direção: Lee Jae Kyoo
Produção: Choi Nak Kwon
Roteiro: Choi Sung Hyeon
Música: Mowg
Cinematografia: Go Nak seon
Produtora: Good Choice Cut Pictures
Distribuição: Lotte Entertainment
Lançamento: 30 de abril de 2014
Duração: 135 minutos
País de Origem: Coreia do Sul
Idioma: Coreano

Confesso que assim como ocorre quando começo sageuks (dramas épicos) fiquei sem entender quase nada nas primeiras cenas. Mas aos poucos a história foi ficando mais clara. O mais interessante é que o filme retrata as vinte quatro horas que antecederam uma tentativa de assassino ao rei de forma cronometrada. Em 1777 d.C, um ano após começar a reinar, o rei Jeongjo (Hyun Bin - Secret Garden) enfrenta mais uma ameaça de morte. Acontece que quando criança viu seu próprio pai morrer após um decreto do avô, e desde então enfrentou uma série de tentativas de assassinatos. Tudo por conta da sede pelo poder, a briga política entre as famosas facções rivais Noron e Soron.
Assim, vivendo nesse meio de intrigas e conspirações, Jeongjo não confiava em praticamente ninguém, sendo que um dos únicos em que ousava depositar alguma confiança é seu fiel secretário Gap Soo (Jung Jae Young) e no chefe da guarda real Hong (Park Sung Woong – Remember - War of the Son). Jeongjo defende que os políticos pensem mais nos problemas sociais e não fiquem apenas focados no estudo dos clássicos... 

domingo, 5 de junho de 2016

Marry Me, Or Not? (Tw-Drama)

Aproveitei minha súbita vontade de ver mais dramas taiwaneses e resolvi ver um indicado ano passado aqui no blog nos comentários. E não me arrependi! Marry Me or Not? é um deliciosa comédia romântica cheia de cenas divertidas e momentos fofos, e trago então hoje alguns motivos porque vale a pena conferir o drama.
Título: 必娶女人/ Bi Chu Nv Ren/ Marry Me or Not
Gênero: Comedia Romântica
Total de episódios:15
Emissora: CTV
Período de transmissão: 01 de novembro de 2015 à 14 de fevereiro de 2016


- O enredo 
Logo no início o drama nos apresenta um triângulo um tanto quanto briguento. Temos a protagonista Cai Huan Zhen (Alice Ke), uma mulher confiante com uma vida profissional de sucesso que após vários relacionamentos amorosos, aceita o pedido de casamento de seu namorado. Porém, sua vida vira às avessas depois de reencontrar sua ex melhor amiga - Hao Sheng Nan (Joanne Tseng), e descobrir que esta é nada menos que a sobrinha de seu noivo. Por conta de alguns desdobramentos inusitados e importantes, Huan Zhen jura vingança à Sheng Na, decidindo tomar tudo o que é da outra, inclusive o namorado. Mal sabendo ela que este tal namorado - Hao Meng (Roy Qiu) é na verdade o irmão da Sheng Na. 
Nisso, temos várias situações engraçadas e cenas de vergonha alheia envolvendo esse triângulo. Hao Meng fica literalmente no meio do fogo cruzado entre Huan Zhen e Sheng Na, não sabendo por vezes como lidar com a irmã e tal ex melhor amiga dela.